Arquivo da categoria: Campanhas

Abraço virtual impede o contágio viral!

Já estamos todos saturados com tanta informação e orientações, não é? Mesmo assim, a Divisão de Atenção à Saúde e Segurança do Trabalho (DASST) reforça que a pandemia ainda não acabou e, por isso, não é o momento para flexibilizar o cuidado.

Apesar da vacinação já estar em andamento no nosso país, é primordial continuar utilizando máscara, lavando as mãos com água e sabão ou fazendo a higienização com álcool em gel 70%, manter distanciamento social, evitar aglomerações e qualquer contato como abraço, beijo ou aperto de mãos com quem não convive no mesmo ambiente que você para evitar contaminação e propagação do coronavírus. 

Abraços devem ser virtuais! A saudade pode ser aliviada por uma videochamada. Nesse momento, esses cuidados demonstram seu amor, zelo e respeito ao próximo. 

Se pertencer ao grupo prioritário para receber a vacinação contra a COVID-19, fique atento ao calendário e faça a imunização. Pratique a prevenção e evite a disseminação do vírus!

Como NÃO usar a máscara…

Enquanto não combatemos o inimigo, os cuidados de prevenção recomendados são primordiais. 

Mantenha distância mínima de 1,5 a 2 metros dos demais, higienize suas mãos com álcool em gel 70%, evite aglomerações e vacine-se assim que chegar a sua vez nos grupos prioritários.

Claro, não podemos esquecer jamais o uso desse acessório obrigatório e grande aliado nessa luta contra o coronavírus: a máscara. Todavia, seu uso deve ser feito da forma correta para ter efeito. A máscara não é lenço, nem bandana ou brinco e muito menos tapa olhos. Ela deve ser ajustada ao seu rosto e cobrir nariz e boca! Além disso, deve ser trocada a cada 2 horas ou quando estiver úmida.

Quando realizadas da maneira certa, as medidas de prevenção são muito eficazes. Se todos colaborarem e agirem de forma consciente e responsável, poderemos dar fim a essa batalha e ganharmos essa luta. 

Faça sua parte! Proteja a si e a todos ao seu redor!

14 de junho é Dia Mundial do Doador de Sangue

No mês de junho, ocorre a Campanha #JunhoVermelho em alusão à importância da Doação de Sangue. No dia 14, celebra-se o Dia Mundial do Doador de Sangue. A data é uma forma de agradecer os doadores, bem como sensibilizar e incentivar mais doações e  conscientizar a população sobre a necessidade de disponibilizar sangue de forma segura para salvar vidas.

O sangue é insubstituível e não pode ser produzido artificialmente. Portanto, somos a única fonte de matéria prima para uma transfusão! É um composto de células que exercem funções de transporte de oxigênio a cada parte do corpo, defesa do organismo contra infecções e participação na coagulação.

É possível doar sangue em bancos de sangue ou hemocentros, para que esse sangue seja usado subsequentemente em transfusões. A recuperação do doador ocorre imediatamente depois da doação. Uma pessoa adulta tem, em média, cinco litros de sangue e em uma doação são coletados no máximo 450 ml. 

O sangue doado é separado em diferentes componentes (hemácias, plaquetas, plasma) para beneficiar vários pacientes com apenas uma unidade coletada. Os componentes são distribuídos para os hospitais para atender aos casos de emergência e aos pacientes internados.

Conforme o Ministério da Saúde, para ser doador de sangue são necessários os seguintes pré-requisitos: 

  •  apresentação de documento de identidade com foto e órgão expedidor;
  •  estar em boas condições de saúde;
  •  ter entre 16 a 69 anos de idade (de 16 a 17 anos com autorização do responsável legal);
  •  idade até 60 anos, se for a primeira doação;
  • intervalo entre doações de sangue de 90 dias para mulheres e 60 dias para homens;
  •  pesar mais do que 50 kg;
  •  não estar em jejum;
  •  após o almoço ou jantar, aguardar pelo menos 3 horas;
  •  não ter consumido bebida alcoólica nas últimas 12 horas;
  •  não ter tido parto ou aborto há menos de 3 meses;
  •  não estar grávida ou amamentando;
  •  não ter feito tatuagem ou maquiagem definitiva há menos de 12 meses;
  •  não ter piercing em cavidade oral ou região genital;
  •  não ter feito endoscopia ou colonoscopia há menos de 6 meses;
  •  não ter tido febre, infecção bacteriana ou gripe há menos de 15 dias;
  •  não ter fator de risco ou histórico de doenças infecciosas, transmissíveis por transfusão (hepatite após 11 anos, hepatite b ou c, doença de chagas, sífilis, aids, hiv, htlv i/ii);
  •  não ter visitado área endêmica de malária há menos de 1 ano;
  •  não ter tido malária;
  •  não ter diabetes em uso de insulina ou epilepsia em tratamento;
  • não ter feito uso de medicamentos anti-inflamatórios há menos de 3 dias (se a doação for de plaquetas).

A Divisão de Atenção à Saúde e Segurança do Trabalho (DASST) reforça a importância da doação, principalmente nesse cenário de pandemia no qual os bancos de sangue relatam a redução do número de doadores. As transfusões de sangue salvam muitas vidas, mas para que isso ocorra é necessário doar para termos estoques e sangue disponível para atender a demanda de quem precisa. Portanto, se você se enquadra nos pré-requisitos estabelecidos, procure um banco de sangue ou hemocentro e doe. Durante a pandemia, esses locais têm cumprido os protocolos sanitários de combate ao coronavírus para que a doação seja realizada de forma segura. 

Não esqueça de usar sua máscara, higienizar frequentemente as mãos com álcool em gel 70%, manter distância de no mínimo 1,5 a 2 metros entre os demais. Alguns locais estão realizando agendamento, então é essencial entrar em contato antes para evitar saída desnecessária. Se você fez vacinas (contra a gripe, contra a COVID-19 ou outras), também deve estar atento e informar isso antes de doar, para verificar os critérios e prazos adequados para efetuar a doação. 

Lembre-se: doar sangue pode salvar muitas vidas! 

Doação de sangue: um gesto simples para quem doa e valioso para quem recebe.

Vacinação salva vidas!

Em 2021, tivemos a satisfação de ver o início do processo de vacinação contra a COVID-19 no Brasil. Entretanto, infelizmente, a vacina não está disponível para toda a população. Esse processo será feito por etapas, priorizando alguns grupos considerados de risco para contrair o coronavírus e apresentar maiores complicações de saúde.

As medidas de prevenção são essenciais e devem continuar sendo hábito em nossas vidas. Portanto, siga utilizando máscara, higienizando as mãos com álcool em gel 70% e mantendo a distância de 1,5 a 2 metros entre os demais. Não se aglomere! Não subestime o vírus!

O mais importante: quando chegar sua vez de se vacinar, não hesite!  Vá a unidade de saúde ou posto de vacinação garantir mais essa potente forma de proteção! Quanto mais pessoas forem vacinadas, menores são as chances de propagação do vírus.

Não flexibilize os cuidados. Nessa luta, só sairemos vencedores se houver a colaboração e a conscientização de todos!

Como diminuir os prejuízos da exposição diária às telas?

A tecnologia tem sido grande aliada de todos, principalmente durante esse período de pandemia do coronavírus. Por meio dela, é possível desfrutar de momentos de lazer assistindo a séries ou a filmes na televisão, trabalhar em casa com uso de computadores e outros meios, que evitam nossa exposição externa ao vírus, e também diminuir a saudade de amigos, colegas de trabalho e familiares por meio de uma videochamada ou de reuniões virtuais pelo celular, notebook ou tablet. Além disso, a tecnologia possibilita o acesso a notícias e informações relevantes sobre saúde, educação, cultura e outros temas. 

A utilização de telas apresenta muitas vantagens, quando seu uso ocorre de forma adequada e ponderada. Deste modo, é importante avaliar o tempo de exposição às telas, a postura corporal recomendada, qual objetivo desse uso e o momento certo para dispensá-las ou evitá-las. 

Pensando nisso, elaboramos um material com algumas dicas muito importantes e úteis a você. Para acessá-lo, clique aqui. Leia com atenção e, se for preciso, reavalie esse uso! O excesso pode trazer muitos danos à saúde física e mental, então o ideal é o equilíbrio sempre. 

Moderação é a melhor opção! Priorize seu bem estar e sua saúde.

6 comportamentos errados em tempos de pandemia

Desde 2020, estamos vivendo um cenário de pandemia no Brasil, no qual seguir as recomendações oficiais para evitar a disseminação do vírus é extremamente importante. Infelizmente, não conseguimos combater o coronavírus ainda, mas em 2021 nosso país iniciou o processo de vacinação contra a COVID-19, que segue o calendário priorizando os grupos de risco.

Mesmo que você já tenha sido vacinado, deve continuar mantendo os cuidados necessários para evitar a propagação do vírus. Lembre-se que, ao se proteger, você também protege os demais à sua volta e contribui para que, em breve, possamos vencer essa luta.

Vale lembrar que ao sentir qualquer sintoma (dor de cabeça, cansaço, febre, tosse, falta de ar, dor de garganta, perda do apetite e paladar), você deve procurar imediatamente um serviço de saúde para avaliação. Se for confirmada a infecção por coronavírus, mantenha o isolamento recomendado de 14 dias para evitar a transmissão do vírus para os demais e garantir uma boa recuperação.

A Divisão de Atenção à Saúde e Segurança do Trabalho (DASST) traz orientações sobre os 6 comportamentos errados durante a pandemia realizados por algumas pessoas, para que possamos refletir sobre eles e intensificar os cuidados, praticando-os da maneira correta. Para conferir se você está agindo corretamente frente à pandemia, clique aqui e acompanhe o material produzido pela DASST.

O uso da máscara, a higienização frequente das mãos, o distanciamento e a vacinação são os maiores aliados para manter o vírus longe e preservar vidas!

Não se esqueça: com responsabilidade e cooperação de todos, o inimigo perderá a força e venceremos a pandemia!

31 de maio é Dia Mundial Sem Tabaco!

Dia 31 maio, é celebrado o Dia Mundial sem Tabaco, criado em 1987 pela Organização Mundial da Saúde (OMS) e adotado desde 1988 pelos seus Estados-Membros, visando alertar sobre as doenças e as mortes evitáveis relacionadas ao tabagismo.

O tabagismo é responsável pelo aumento do risco de complicações de várias enfermidades como doenças cardiovasculares isquêmicas – infarto do miocárdio e derrame cerebral -, doenças respiratórias – bronquite e enfisema – e diversos tipos de câncer.

Atualmente, sabe-se que o uso de tabaco pode desencadear mais de 20 tipos de câncer em diversos órgãos do nosso corpo – pulmão, laringe, boca e bexiga, entre outros. Além disso, pode causar infertilidade, impotência, maior probabilidade de doenças cardíacas, baixo rendimento em atividades físicas e aumento de risco de  desenvolvimento de algumas doenças, inclusive mentais, em filhos de fumantes.

O Instituto Nacional do Câncer também ressalta a vulnerabilidade de fumantes à infecção pelo novo coronavírus, porque ao fumar ocorre contato constante dos dedos e possivelmente cigarros contaminados com os lábios, elevando a possibilidade da transmissão do vírus para a boca. Além disso, utilizar produtos que envolvem compartilhamento de bocais para inalar a fumaça — como narguilé (cachimbo d´água) e dispositivos eletrônicos para fumar (cigarros eletrônicos e cigarros de tabaco aquecido) — também facilitam a transmissão do novo coronavírus entre seus usuários e a comunidade. 

O tabaco causa diferentes tipos de inflamação e prejudica os mecanismos de defesa do organismo, acarretando maior risco de infecções por vírus, bactérias e fungos. Fumantes são acometidos mais frequentemente por infecções como sinusites, traqueobronquites, pneumonias e tuberculose. Desse modo,  foi constatado que o tabagismo é fator de risco para a COVID-19 e também é um agravante da doença, pois devido a um possível comprometimento da capacidade pulmonar, o fumante possui mais chances de desenvolver sintomas graves da doença. Portanto, além do uso de máscara, distanciamento social,  higienização frequente das mãos e vacinação contra a COVID-19, abandonar o uso do tabaco também pode salvar sua vida! 

Por isso, no Dia Mundial sem Tabaco, a Divisão de Atenção à Saúde e Segurança do Trabalho (DASST) reforça a importância de abandonar esse hábito. Se você pretende ter uma qualidade de vida melhor e prevenir diversas doenças ocasionadas pelo uso do tabaco, busque ajuda no serviço de saúde mais próximo. Com orientação de profissionais qualificados e um plano de tratamento definido de acordo com cada caso, é possível abandonar esse vício. Vale lembrar que nunca é tarde para buscar ajuda e melhorar sua saúde. Também é fundamental ressaltar que existem muitos motivos para parar de fumar. 

Não escolha marcas ou tipos de tabaco, escolha sua saúde! 

O jeito certo de lavar as mãos!

Na luta contra o coronavírus, a lavagem de mãos é fundamental. 

Não esqueça de lavar a palma e a parte de trás das mãos, também entre os dedos e embaixo das unhas. Lave até a altura do punho. A técnica de lavagem de mãos deve durar no mínimo 20 segundos. 

Se não puder lavar as mãos com água e sabão, faça a higienização com álcool em gel 70%. Não esqueça de secá-las com toalha descartável e evitar tocar diretamente na torneira para fechá-la ou maçaneta de porta. 

Não esqueça de usar a máscara, manter distância de 1,5 a 2 metros entre os demais, evite aglomerações e, se a vacina estiver disponível para você, não hesite e garanta mais essa potente proteção contra o vírus. 

Juntos podemos vencer a pandemia, mas a colaboração de todos é primordial. 

Converse sobre o coronavírus com as crianças!

Conversar com as crianças é extremamente importante para que possam compreender o que está acontecendo à sua volta.  

Se for necessário, crie brincadeiras ou modos que facilitem esse entendimento. Reforce a importância da lavagem das mãos com água e sabão ou higienização com álcool 70%, do uso de máscara – se a criança já tiver idade recomendada e não obtenha o risco de sufocamento – e do distanciamento social para manter o “inimigo” longe. Aproveite para brincar, ajudar nas atividades da escola, curtir momentos mais próximos ao seu pequeno. 

Não deixe a criança perto de pessoas com sintomas respiratórios ou que possam indicar a contaminação pelo coronavírus e, havendo a possibilidade de infecção, busque avaliação profissional. Lembra-se que é essencial manter a caderneta de vacinação em dia para evitar que a criança adquira outras doenças.

A prevenção ao coronavírus deve ter a colaboração de todos, inclusive dos pequenos. Cuide-se e proteja a todos à sua volta.  

Juntos venceremos o vírus!

Use máscara e salve muitas vidas!

Todos nós sabemos o quanto a máscara tem sido fundamental nesse momento de pandemia do coronavírus. Esse item tornou-se indispensável na vida de todos nós e ajuda a salvar muitas vidas.  Quando você sai de casa utilizando sua máscara cobrindo nariz e boca e realiza a troca dela a cada 2 horas ou quando está úmida, está protegendo a si mesmo e aos demais!

Vale lembrar que a máscara deve ser utilizada em conjunto com outras medidas preventivas: distanciamento social  (1,5 a 2 metros de distância entre cada pessoa) e higienização frequente das mãos com álcool em gel 70%! Não esqueça de evitar o uso de acessórios e manter o cabelo preso quando sair de casa, pois isso reduz as chances de contaminação e disseminação do vírus. Mantenha seu ambiente e todos os objetos que utilizar fora de casa devidamente higienizados.

Caso você apresente algum sintoma como dor de cabeça, tosse, espirro, náusea, vômito, perda recente do paladar e olfato, cansaço ou febre, busque avaliação médica e, caso esteja contaminado pelo coronavírus, cumpra os 14 dias de isolamento recomendado.

Fique atento às orientações sobre a aplicação da vacina contra a COVID-19. Se pertencer ao grupo prioritário, vacine-se. Potencialize sua proteção, mas não esqueça de continuar praticando todas as outras medidas preventivas recomendadas pelos órgãos oficiais. 

Se todos colaborarem e agirem de forma consciente no combate ao vírus, venceremos essa luta!