CONCURSO PARA ESCOLHA DE IDENTIDADE VISUAL DO SITE DOS CLUBES SOCIAIS NEGROS – CLUBE 24 DE AGOSTO

O projeto “Clubes Sociais Negros: Articulação Sul-Sul”, financiado pela Lei de Emergência Cultural n° 14.017/2020 (Lei Aldir Blanc), por meio da Secretaria de Estado da Cultura do Rio Grande do Sul (SEDAC-RS) e Fundação Marcopolo, lança o EDITAL Nº 001/2021 – Concurso Para Escolha De Identidade Visual Do Site Dos Clubes Sociais Negros – Clube 24 De Agosto.  O concurso pretende promover a criação de uma identidade visual realizada por pessoas autodeclaradas negras (pretas ou pardas), que tenham capacidade técnica em atender as demandas deste edital. A identidade em questão fará composição para o site Clubes Sociais Negros, que visa à criação de uma rede de apoio mútuo a partir da interação entre diversos dos Clubes Sociais Negros presentes na região do extremo Sul do Estado do Rio Grande do Sul, no Brasil e no Uruguai, com intuito, neste primeiro momento, dar continuidade às pesquisas a respeito do acervo do Clube 24 de Agosto, importante patrimônio negro reconhecido pelo estado do RS e o município de Jaguarão, bem como preservar o acervo fotográfico, documental como teses, dissertações, monografias, livros, documentários, vídeos e outras produções destes clubes.

📩 edital.identidadevisual@clubessociaisnegros.com

📍 VISUALIZAR EDITAL

👉🏿 Inscrições com envio das propostas – 01 de maio a 26 de maio 

👉🏿 Análise pela Comissão Julgadora – 27 de maio a 31 de maio 

👉🏿 Divulgação do resultado 01 de junho – Pagamento prêmio 04 de junho 

OPORTUNIDADE DE BOLSA PDA/2021

Prezados (as) Estudantes!

Estão abertas as inscrições para bolsistas nos projetos contemplados pelo Programa de Desenvolvimento Acadêmico – PDA/2021:

  • Projeto de Ensino:  “AFROnteiras Negras Unipampa”.

EDITAL ENSINO PDA 2021 – AFRONTEIRAS NEGRAS UNIPAMPA

  • Projeto de Pesquisa: “Clubes Sociais Negros do Brasil: mapeamento, memória, patrimonialização e Educação das Relações Étnico-Raciais”

EDITAL PESQUISA PDA 2021 – Clubes Sociais Negros

 

NEABI-Mocinha e PET-PPC inauguram formação de Educação para as Relações Étnico-Raciais

Movimento Educador 1: “Seria interessante se pudéssemos construir experiências de formação em que os professores pudessem vivenciar, analisar e propor estratégias de intervenção que tenham a valorização da cultura negra e a eliminação de práticas racistas como foco principal.” (GOMES, 2005, p.151)

Ontem dia 19 de abril de 2021 deu-se início ao Projeto de Ensino Educação para as Relações Étnico-Raciais, uma parceria entre o PET-PPC e o NEABI-Mocinha, ambos do Campus Jaguarão. O Movimento Educador 1 contou com a presença do Prof. Dr. Delton Aparecido Felipe, da Universidade Estadual de Maringá- PR (UEM). O professor possui um vasto currículo com experiência nas temáticas Étnicas-Raciais. O projeto conta com os seguintes parceiros: PET-Letras, Pibid- História (Campus Jaguarão) e Pibid- Ciências Humanas (Campus São Borja) e o Curso de Gestão de Turismo (Campus Jaguarão). Este primeiro encontro iniciou-se às 17h com a apresentação do projeto e da sua identidade visual, com falas da Coordenadora do NEABI-Mocinha Profa. Dra. Giane Vargas, da Coordenadora Acadêmica do Campus Jaguarão Profa. Dra. Simone Alves, das bolsistas petianas, membras do NEABI-Mocinha e parte da equipe executora do projeto Amanda Caroline Alves Pereira e Athemis Nunes da Fonseca. A mediação do encontro ficou por conta do bolsista petiano, membro do NEABI-Mocinha e parte da equipe executora Rafael de Souza Freitas (Odara). O encontro contou com aproximadamente 80 participantes, entre esses os já citados acima, membros da ADAFI (Assessoria de Diversidade e Ações Afirmativas) e dos outros nove NEABI’s da Universidade Federal do Pampa, sendo os últimos: João Brás da Silva (Campus Alegrete); Oliveira Silveira (Campus Bagé); Antônio Sapateiro (Campus Dom Pedrito); Diva Rodrigues (Campus Itaqui); Mãe Fausta (Campus Uruguaiana) e ainda os dos Campi Caçapava do Sul, Santana do Livramento, São Borja e São Gabriel. Os participantes não pouparam elogios pela iniciativa e frisaram a necessidade de ampliação das discussões acerca das temáticas étnicas e raciais com professores, coordenadores e gestores de instituições socioeducacionais. O projeto conta com encontros mensais, iniciando no mês de abril e com finalização em dezembro de 2021. O projeto de ensino contempla não só discentes e docentes, mas também servidores e comunidade externa.

AFROnteiras Negras na Pós-Graduação: Intelectuais que nos inspiram

Por Ariane Andrade

Graduanda em História – Licenciatura, Bolsista do Programa Institucional de Bolsas de Iniciação à Docência (PIBID), Integrante do AFROnteiras e NEABI Mocinha, Universidade Federal do Pampa Campus Jaguarão – RS

Angela Davis nos explica que “Quando a mulher negra se movimenta, toda a estrutura da sociedade se movimenta com ela.” É com esse pensamento que afirmamos a importância do do Grupo de Estudos AFROnteiras Negras criado em 2017, na Universidade Federal do Pampa (UNIPAMPA), Campus Jaguarão/ RS.  Idealizado como um Projeto de Ensino, pela Profa Dra Giane Vargas com o objetivo de estudar, problematizar e refletir coletivamente sobre obras de intelectuais negras. Assim como Oxum, que é o símbolo de toda beleza e empoderamento feminino, juntamente com a sabedoria e paciência de Nanã sendo o orixá mais velha, transmite todo o seu aprendizado aos mais novos, definindo assim esse lugar de fala, escuta, afeto e conquistas.

Conquistas nas quais cada uma que teve sua trajetória atravessada pelo AFROnteiras, conquistaram vitórias COLETIVAS, compartilhando e transformando a sua dor e experiências em pesquisas e visibilidades, assim como um jardim, plantando, regando e cultivando aos poucos até que esteja pronto para a colheita. Mesmo que a academia ainda nos diga que o nosso corpo preto não é bem vinde, AFROnteiras é a prova viva que é nosso direito estar em todos os lugares!

O Ano de 2020 e 2021, mesmo num contexto pandêmico, nos presenteou não só com uma, mas com várias conquistas de integrantes do AFROnteiras que ingressaram na Pós-graduação e, aos poucos, esse ciclo vai se ampliando com futuras mestras e doutoras. Compartilhamos dos pensamento de Lélia Gonzalez ao reivindicar nossa diferença enquanto mulheres negras, enquanto amefricanas,  sabemos bem o quanto trazemos em nós as marcas da exploração econômica e da subordinação racial e sexual. Por isso mesmo, trazemos conosco a marca da libertação de todos e todas. Portanto, nosso lema deve ser: organização já!” (GONZALEZ, Pág. 366).

Aprovadas no mestrado em Antropologia Social e Cultural pela a Universidade Federal de Pelotas (UFPEL)  Shirlei Pereira Rosa quilombola, licenciada em História pela Unipampa, graduanda do Curso de Produção e Política Cultural da Unipampa Campus Jaguarão. Êmily de Araujo Edwards bacharela em Produção e Política Cultural pela Unipampa. Aprovada no Doutorado em Antropologia Social e Cultural pela a Universidade Federal de Pelotas (UFPEL).

Juliana da Rosa Brochado da Luz licenciada em Pedagogia pela UCPEL, especialista em Educação Infantil pela UFPEL e Mestra em Educação pela UNIPAMPA. Doutoranda em Antropologia Social e Cultural pela a Universidade Federal de Pelotas (UFPEL).

Marielda Barcellos Medeiros licenciada em Pedagogia e Especialista em Educação pela Universidade Federal de Pelotas UFPEL, Mestra em Educação pela UNIPAMPA. Marielda qualificou seu Projeto de Tese recentemente e fez questão delembrar que agora “não estou caminhando de forma solitária”.

Doutoranda em Educação pela Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul (PUCRS)  Elida Regina Nobre Rodrigues Licenciada em Pedagogia pela UFPEL, tem Especialização em Educação Brasileira pela FURG, Mestra em Educação pela
UNIPAMPA.


Mestranda em Educação no PPGEdu – Unipampa Campus Jaguarão. Caroline Coutinho Belchior licenciada em Pedagogia pela UCPEL, Especialista em Educação Inclusiva e Educação Especial pela a Faculdade de Educação São Luís (FESL).


Seguimos ao embalo da música “Coroação” do grupo Rimas & Melodia “(…) É sobre lutar, sobre nos amar. É sobre viver e sobreviver. É sobre lutar, sobre conquistar. É sobre fazer valer (…)”. AFROnteiras é a base e suporte para que outras mulheres possam se inspirar e se apropriar de conhecimentos, alcançando seus objetivos. Parabéns a todas por essas conquistas!

Roda de Conversa: “Intelectuais Negras: estado do conhecimento, biografias e conceitos-chave.”

NOTÍCIA

“Escritoras Negras do Rio Grande do Sul: Representatividade e Reconhecimento”

A Disciplina de Tópicos Especiais em História Contemporânea “INTELECTUAIS NEGRAS: ESTADO DO CONHECIMENTO, BIOGRAFIAS E CONCEITOS CHAVE receberá, amanhã, Fernanda Nunes para uma Roda de Conversa sobre sua pesquisa apresentada no Curso de Letras, como Trabalho de Conclusão de Curso. Salientamos que esta atividade é fechada para discentes da disciplina “Tópicos Especiais em História Contemporânea –  Intelectuais Negras: estado do conhecimento, biografias e conceitos-chave”.

Disponibilizamos na íntegra o Trabalho de Conclusão de Curso da Convidada no link abaixo:

Link: “Escritoras Negras do Rio Grande do Sul: Representatividade e Reconhecimento”

COORDENAÇÃO NEABI MOCINHA

O Núcleo de Estudos Afro-brasileiros e Indígenas Maria Cezarina Cardozo (NEABI MOCINHA) torna público portaria que nomeia a coordenação atual do núcleo.

O Reitor da UNIVERSIDADE FEDERAL DO PAMPA, no uso de suas atribuições legais e estatutárias, CONSIDERANDO o Despacho ADAFI 0478236, de 08 de março de 2021, e o Despacho GR 0479320, de 09 de março de 2021, RESOLVE:

DESIGNAR a Coordenação do Núcleo de Estudos Afro-brasileiros e Indígenas- NEABI do campus Jaguarão, composta por Giane Vargas Escobar, Professora do Magistério Superior, como Coordenadora pro tempore.

PORTARIA 403 AQUI

CONVITE PARA PRIMEIRO ENCONTRO DE 2021

Convidamos toda a comunidade acadêmica (Direção, Professoras e Professores, TAEs e Terceirizados) para a primeira reunião  de 2021 do Núcleo de Estudos Afro-brasileiros e Indígenas Maria Cezarina Cardozo (NEABI MOCINHA).

Gostaríamos neste encontro darmos as boas vindas a todas, todos e todes que nos acompanham e a todes que queiram de forma comprometida a somar na luta
antirracista.

O encontro será na próxima terça-feira, dia 09/02 às 17h.

Contamos com todas, todos e todes vocês!

LINK DA REUNIÃO: https://meet.google.com/gih-esyu-bsz

(encarte convite)

 

NOTA DO NEABI MOCINHA EM RELAÇÃO AO USO DO SEU NOME PARA APOIO ÀS CHAPAS QUE CONCORREM AO PLEITO PARA DIREÇÃO DA UNIPAMPA CAMPUS JAGUARÃO 2021 – 2024

O NEABI MOCINHA – Maria Cezarina Cardozo vem a público expor que não manifestou nem manifestará apoio a NENHUMA das Chapas que estão concorrendo aos cargos de Direção da UNIPAMPA/Campus Jaguarão (2021-2024), tendo em vista este Núcleo estar ligado diretamente à Gestão/Coordenação Acadêmica de qualquer um dos/das concorrentes ao pleito. LEIA A NOTA NA ÍNTEGRA  AQUI

Projeto de Extensão: Organização do Acervo da Sociedade Espírita Fé, Esperança e Caridade

No início deste ano de 2020, a pesquisadora e Professora Liziana Faria Neves defendeu seu Trabalho Final do Curso de Especialização em Ensino de História da Unipampa Campus Jaguarão, intitulado “João da Costa Chaves: ativismo e protagonismo negro em Jaguarão/RS, fronteira Brasil-Uruguai”.
A investigação foi orientada pela Profa Dra Giane Vargas, que à convite do Sr. Paulo Vicente da Costa Chaves, Presidente da Sociedade Espírita Fé, Esperança e Caridade, mantenedora da Creche Nosso Lar, deram início ao Projeto de Organização e Preservação do acervo desta importante instituição, cuja documentação data desde 1925.

creche nosso lar – acervo pessoal

No último dia 13/11, aconteceu um encontro na sede do centenário Clube 24 de Agosto para conhecer os materiais básicos necessários para este Projeto, pois o Clube é um importante referencial no tratamento do seu acervo, com projetos realizados em parceria com a UNIPAMPA através do NEABI Mocinha e do Curso de Licenciatura em História da UNIPAMPA campus Jaguarão.
Além do Sr. Paulo, estiveram presentes as senhoras Terezinha Farias Ramires e Sandra Ferraz, que foram recepcionadas pela Srª Sônia Madruga Crespo.

na foto: Profª Drª Giane Vargas, Terezinha Farias Ramires, Sandra Ferraz, Profª Liziana Faria Neves, Sr. Paulo e a Srª Sônia Madruga Crespo