Arquivo da tag: neuromechanics

Características musculares definem o sucesso na marcha de idosos

Muitas das quedas que os idosos sofrem ocorrem durante a caminhada, principalmente quando precisam passar por algum obstáculo ou degrau durante o dia a dia. Em estudos anteriores, idosos sedentários mostraram maior dificuldade para passar por cima de um obstáculo durante a caminhada quando comparados com idosos que fazem atividade física regular. Parâmetros musculares dos membros inferiores, como as características do tecido muscular, parecem influenciar a marcha de adultos idosos. Esse efeito poderia ser explicado porque muitos desses parâmetros estão associados com a capacidade de produzir força. Entretanto, quais parâmetros especificamente influenciam tal condição ainda não estão totalmente estabelecidos na literatura. Identificá-los pode ser um primeiro passo na busca de estratégias mais eficientes de treinamento e reabilitação.

Pensando nisso, a Dra. Eliane C. Guadagnin liderou uma pesquisa com o objetivo de investigar quais características dos músculos dos membros inferiores estariam relacionados com esse desempenho. Os idosos que participaram do estudo primeiro passaram por uma análise biomecânica da marcha em velocidade preferida e máxima, com a utilização ou não de obstáculos. Esse desempenho na caminhada foi relacionado com dados obtidos usando a técnica de ultrassonografia. Usando um aparelho de ultrassom, a arquitetura muscular (orientação e alinhamento das fibras musculares) e o echo intensity, uma medida que permite estimar a qualidade do tecido muscular, foram mensuradas nos músculos reto femoral, vasto lateral, bíceps femoral, tibial anterior e gastrocnêmico medial. Por fim, também foi avaliada a força isométrica máxima destes músculos utilizando um dinamômetro manual.

Os principais achados do estudo indicam que quanto maior o tamanho de certos músculos, como o vasto lateral (que realiza a extensão do joelho) e o tibial anterior (responsável pela inversão do pé e pela flexão dorsal do tornozelo), menor a chance de queda nos idosos. A importância do papel do vasto lateral para a marcha é conhecida, mas pela primeira vez são apresentados dados mostrando que as características do músculo tibial anterior tem importante papel em momentos críticos dos movimentos na marcha. Os resultados também indicam que a força isométrica não tem correlação com o desempenho de marcha.

Dessa forma, os exercícios de força para idosos devem buscar fortalecer vasto lateral e tibial anterior, priorizando o ganho de força dinâmica.

Confira o artigo clicando aqui e acesse o PDF aqui.

Texto elaborado por Marcela Trindade e Maria Carolina Gonçalves, alunas de ensino médio do Instituto Elisa Valls e bolsistas CNPq de Ensino Médio da Universidade Federal do Pampa, Campus Uruguaiana.

Fratura no metatarso de jogadores de futebol: um problema que começa cedo

O futebol é um dos principais esportes no Brasil, não é mesmo? Diariamente estamos rodeados de notícias sobre esse esporte, muitas delas envolvendo a saúde e o bom condicionamento físico dos atletas, pois é imprescindível que cada atleta esteja em boa forma para competir. Apesar de ser uma prática extremamente benéfica e divertida, o futebol pode apresentar alguns riscos, como lesões e fraturas devido ao estresse repetido sobre estruturas corporais.

No Grupo de Pesquisa em Neuromecânica Aplicada da Universidade Federal do Pampa, temas relacionados com o desempenho e lesões no esporte são investigados. Um dos projetos de pesquisa desenvolvidos busca compreender quais fatores podem levar a uma lesão característica do futebol, a fratura do quinto metatarso (o menor dedo do pé). Interessados em prevenir essa lesão em crianças e adolescentes que praticam o esporte, o grupo realizou medidas e avaliações em atletas adolescentes. A pesquisa lideradas pelo doutorando Renato Azevedo e coordenada pelo Prof. Dr. Felipe P Carpes mostrou que já nos atletas jovens são observadas sobrecargas mecânicas sobre os metatarsos (ossos dos dedos), similares aquelas que são encontradas nos pés de jogadores adultos. Esse tipo de risco até então era descrito apenas para atletas adultos, e realça uma preocupação: o risco de lesão começa muito cedo.

Esse tipo de enfermidade é muito comum entre os jogadores de futebol. O craque Neymar, por exemplo, teve que passar por uma cirurgia ao fraturar o osso durante uma disputa de bola. No entanto, para que crianças e adolescentes possam curtir o esporte de maneira saudável, é preciso adotar algumas precauções. Os cientistas recomendam que o uso de chuteiras seja alternado com o uso de tênis com menor tração no solo, o que se mostrou favorável a diminuir o estresse sobre os ossos dos pés. Dessa maneira, todos podem aproveitar o futebol sem se importar com esse tipo de problema. O trabalho completo está publicado na revista científica Physical Therapy in Sport (link: https://doi.org/10.1016/j.ptsp.2016.10.001)

Texto elaborado por Marcela Trindade e Maria Carolina Gonçalves, alunas de ensino médio do Instituto Elisa Valls e bolsistas CNPq de Ensino Médio da Universidade Federal do Pampa, Campus Uruguaiana

GNAP faz parte da diretoria da SBB e da ISB

Durante o período de 6 a 9 de Maio no Congresso Brasileiro de Biomecânica, em sua 16ª edição, o professor Felipe Carpes foi eleito presidente da Sociedade Brasileira de Biomecânica. Junto com ele integram a diretoria professores de outras instituições do Brasil. Ainda participam da diretoria eleita os membros do GNAP Marcos Kunzler, na função de tesoureiro, e o aluno de mestrado em Educação Física, Emmanuel Souza da Rocha. Todos atuam no Grupo de Pesquisa em Neuromecânica Aplicada. Nos próximos dois anos, o desafio é aumentar a internacionalização da sociedade e coordenar as ações das comissões que compõe a diretoria da Sociedade Brasileira de Biomecânica. Na semana passada o professor Felipe recebeu o comunicado de sua eleição para o conselho executivo da International Society of Biomechanics, entidade que reune cientistas da área em nível internacional. O professor foi eleito para um mandato de dois anos junto ao conselho executivo daquela sociedade, que é composto também por membros de outros 10 países.
Para o professor, a presidência da Sociedade Brasileira de Biomecânica e a eleição para o conselho executivo da International Society of Biomechanics colocam definitivamente a biomecânica no mapa da biomecânica mundial, elevando o nome da Universidade Federal do Pampa e do Grupo de Pesquisa em Neuromecânica Aplicada, uma vez que a Unipampa passará a ser mencionada em todas as comunicações oficiais das duas sociedades, atingindo um número significativo de estudantes, cientistas e profissionais da área. Conheça mais sobre a Sociedade Brasileira de Biomecânica e a International Society of Biomechanics.
Notícia relacionada:
Projeto inovador coordenado por professor da UNIPAMPA (Ciclo WEB de Palestras em Exercício e Reabilitação) recebeu destaque internacional.
O projeto de ensino que promove webinars gratuitos para pessoas em qualquer lugar do mundo recebeu destaque pela International Society of Biomechanics, sendo reconhecido como uma atividade de impacto para o desenvolvimento científico de países subdesenvolvidos e em desenvolvimento.

Novo trabalho publicado! Novas estratégias de quantificação da ativação muscular no ciclismo

Está online nosso estudo sobre os efeitos combinados da carga de trabalho e da fadiga sobre componentes de frequência da ativação muscular. Desenvolvemos essa abordagem com ciclistas. Confira no link abaixo o resumo. O text completo estará disponível nesse mesmo link, gratuitamente, em algumas semanas.

Link para o artigo